quinta-feira, 14 de novembro de 2019

// Aqui Quem Fala Sou Eu, Robô.

Millennials preferem atendimento via chatbot.

Os millenials, membros da geração com idades entre 18 e 37 anos, estão cada vez mais preferindo o atendimento via chat em detrimento do telefone. De acordo com pesquisa da empresa de software de envolvimento do cliente Freshworks Inc., 70% dos consumidores nesta faixa etária interagiram com um chatbot e mais de 80% estão satisfeitos ou muito satisfeitos com a resposta que receberam.

Com o uso crescente de dispositivos móveis, os meios de contato omnichannel se tornaram um novo padrão no suporte ao cliente. Os consumidores esperam experiências consistentes e personalizadas, independentemente do canal usado. A pesquisa revela que 35% dos entrevistados usam dois ou mais canais para alcançar uma marca.

Os três principais meios de comunicação utilizados pelos brasileiros são: telefone, com 30% da preferência; seguido pelo e-mail, com 27%, e a mídia sócia, que possui 20% da preferência entre os consumidores.

Por outro lado, os consumidores se preocupam com o longo tempo de espera, apesar do alto uso do telefone como meio de comunicação com as marcas. Mais de 30% dos entrevistados relatam que o tempo mais longo que tiveram para ficar no telefone para a resolução de um problema foi de mais de 30 minutos.

Quase 77% dos entrevistados afirmaram que as empresas não os notificam de forma proativa ou acompanharam a solicitação após o pedido de suporte. Quando perguntados sobre o máximo de tempo que levaram para ter uma solicitação resolvida, a maioria dos entrevistados disse que demorou de dois a cinco dias para a conclusão.

Quase um terço dos entrevistados disseram que esperam que o agente de suporte tenha conhecimento completo do produto ou serviço, 18% querem uma resolução rápida para a consulta e 15% esperam que, se a ligação passar para outro atendente, ele já tenha todo o contexto necessário para que não precisem repetir a solicitação enquanto conversam.

Ainda de acordo com a pesquisa, os brasileiros consideram que as empresas de mídia e entretenimento, seguidas pelas de telecomunicações e serviços financeiros, são as que oferecem o melhor suporte no país. As marcas apontadas pelo melhor atendimento foram: Banco Do Brasil, Nubank e Apple.

FONTE:
https://www.mercadoeconsumo.com.br/2019/10/22/millennials-preferem-atendimento-via-chatbot/


quinta-feira, 7 de novembro de 2019

// A Inteligência Artificial Veio Para Ficar

Tecnologia ajuda não só o e-commerce como o varejo físico, que tem uma vantagem no uso da inteligência artificial em relação ao online

Os 4 Ps do marketing do varejo estão prestes a sofrer uma revolução impulsionada pela Inteligência Artificial. Com a aplicação da ferramenta em diversas etapas do negócio, as decisões sobre Produto, Preço, Praça e Promoção se tornarão mais ágeis e tendem a ser cada vez mais assertivas já que as informações sobre o comportamento dos consumidores será, também, cada vez mais refinada.

A bem da verdade é que a AI (Artificial Intelligence) em termos de ciência é algo bem antigo. Para se ter ideia, Alan Turing, considerado o pai da técnica, morreu em 1954. E somente agora, mais de meio século depois, é que o tema entrou de maneira significativa na agenda de profissionais de marketing, vendas e estratégia.

O que mudou? Os smartphones

Hoje cada consumidor traz em sua mão, um aparelho com uma capacidade computacional superior a uma máquina que precisava de mil metros quadrados para ser instalada há algumas décadas.

Cada um desses devices com sensores que são capazes de coletar informações precisas de direção, movimentação, localização, pressão, além de de áudio, vídeo etc. E com um diferencial sobre qualquer os outros computadores: o consumidor leva o smartphone para qualquer lugar que vá.

Todas essas características aliadas à sua alta penetração na população – um estudo recente da FGV indica que existem hoje cerca de 230 milhões de smartphones ativos no Brasil contra uma população de 209 milhões de pessoas – permitiram uma coleta massiva de dados. E são justamente esses dados que são a matéria prima para a inteligência artificial.

Outro fator foi o desenvolvimento da computação em nuvem. Esses parques tecnológicos com milhares de supercomputadores são capazes de coletar, tratar e armazenar um volume de dados antes inimaginável.

Foram essas as principais mudanças que permitiram a criação da infraestrutura para que a AI se tornasse aplicável em larga escala no mundo dos negócios, no ambiente real.

IA no varejo físico

Com essa infraestrutura instalada, a inteligência artificial está trazendo para o varejo físico uma inteligência que até pouco tempo atrás só era acessível ao e-commerce. Só que com detalhe que fará com que a aplicação no mundo físico seja ainda mais assertiva do que no digital: enquanto no ambiente online os consumidores têm um comportamento aspiracional, no real o comportamento das pessoas está de fato ligado ao seu padrão de consumo dentro e fora do seu estabelecimento.

Em outras palavras, as peças que faltaram para se aplicar a AI no varejo físico agora existem. Nesse cenário, começam a surgir suas aplicações que revolucionarão o varejo. Uma das mais relevantes é que agora é possível incrementar os serviços dentro das lojas e se estender a visibilidade do comportamento do consumidor para além de sua loja.

Dentro da loja, por exemplo, está acontecendo um refinamento do uso da AI. Hoje, além de usar a técnica para fazer contagem de quem entra e sai, é possível criar algoritmos para entender a popularidade dos produtos, o padrão de movimentação dentro da loja, o comportamento diante das gôndolas, o padrão de venda e de consumidores de determinada loja, região ou grupo.

FONTE:
https://portalnovarejo.com.br/2019/09/inteligencia-artificial-varejo/

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

// Aproveite o Halloween

Venha para o GoFlash sem medo.

Você precisa de um sistema flexível sem perder a solidez e confiabilidade para atender às suas campanhas do dia a dia, especialmente em eventos especiais (Natal, Black Friday, até mesmo o Halloween). O GoFlash irá desburocratizar seus processos sem perder o controle e a segurança necessária para a sua empresa alcançar bons resultados em suas ações de Marketing. O nosso Motor de Promoção é um grande facilitador, mas é com o nosso modulo de CRM e Fidelidade que a sua marca ira alcançar resultados expressivos. 

Solicite uma demonstração.
http://b2u.com.br/

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

// Confiança Será a Chave em Novembro.

Mais de metade dos fatores de escolha na hora da compra estão ligados à confiança e ao nível de serviço, e não ao preço

Black Friday de 2019 será maior, mais complexa e com maior integração entre os canais físicos e digitais. A conveniência, na hora de comprar, pagar e receber os produtos, também será mais importante nesta edição, em alguns casos até mais que o preço ou descontos.

É o que mostra uma pesquisa encomendada pelo Google e realizada pela consultoria Provokers, ouviu 1.500 consumidores on-line de todas as regiões do país, em julho de 2019.

Google encomendou ainda para a Float/Quantas o estudo Consumers’ New Shopping Experiences. A etapa qualitativa contou com seis especialistas de varejo e nove grupos de discussão em São Paulo. Já a fase quantitativa entrevistou mais de dois mil internautas das classes A, B e C nas cinco regiões do Brasil.

Preço ou conveniência

Os consumidores estão atrás de descontos, mais importante que a fidelização a uma loja. No ano passado, 71% dos consumidores fizeram uma compra em lojas diferentes do que costumam comprar e, em 2019, esse número sobe para 84%. Porém, 33% deles compraram em algum varejista que não conheciam ou nunca tinham ouvido falar na Black Friday.

No entanto, o preço do produto tem uma importância menor este ano. Condições de pagamento especiais e cupons ganharam relevância nesta edição e 54% dos fatores de escolha na hora da compra estão ligados à confiança e ao nível de serviço, e não ao preço.

No ano passado, condições especiais de pagamento ou parcelamento foram um fator decisivo para a compra para 41% dos consumidores. Serviços de assinatura foram importantes para 11% dos consumidores, cashback para 11% e possibilidade de acumular pontos em programas de fidelidade foi relevante para 10% dos consumidores.

Cerca de 39% dos brasileiros consideram a opção de retirar na loja como muito importante na hora de escolher o varejista online. Além disso, 24% dos compradores do evento este ano ano esperam usar essa forma de entrega para suas compras online. Sete em cada 10 afirmam que o valor do frete é a maior razão de desistir de comprar on-line, e a demora na entrega.

A Black Friday de 2019 também será inédita: será o ano em que o número de compradores em lojas físicas deve se igualar ao online.

FONTE:
https://exame.abril.com.br/negocios/na-black-friday-de-2019-conveniencia-importa-mais-que-preco/

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

// EXCELÊNCIA E PRODUTIVIDADE

A B2U Sistemas levou o GoFlash onde se Encontra Diretores e Gestores que aplicam as melhores práticas operacionais no Brasil. 

Parceiros e colegas que entendem como tornar a sua empresa mais competitiva e atualizada em novas tecnologias. O 8º Fórum Produttare foi uma chance para se inspirar, descobrir e começar uma nova jornada rumo à excelência operacional.

Saiba tudo que aconteceu no evento, clicando em:
http://eventos.produttare.com.br/8-forum-produttare-rs



quinta-feira, 10 de outubro de 2019

// Evite Estas Derrapadas


A frente de caixa é um dos pontos mais sensíveis dos supermercados. A lista de desafios vai das perdas aos problemas de atendimento ao cliente e gestão de pessoas.  Entender o potencial desta tecnologia é descobrir novas maneiras de lidar com antigos problemas do varejo.

Para ilustrar alguns benefícios da ferramenta, listamos os 10 erros mais comuns na gestão da frente de caixa e como corrigi-los.

1. Captura de imagens por CFTV sem análise ou auditoria

É comum encontrar a tecnologia de CFTV para captura de imagens na frente de caixa sem a correta análise das informações. Isto porque sem a ferramenta de gestão de PDV fica muito difícil identificar e auditar estes dados. E o pior, quando ocorre algum evento, não há precisão ou rapidez na identificação dos vídeos/áudios.

2. Área de Prevenção de Perdas sem acesso a informações do PDV

Outro erro frequente é a ausência de informações das operações de checkout. Com a utilização de ferramenta de gestão de frente de caixa, é possível corrigir esta falha e manter um banco de dados do PDV para a análise e criação de indicadores.

3. Falta de inteligência aplicada à frente de caixa

Os conhecidos fiscais de frente de caixa constituem uma prática superficial quando comparados ao monitoramento online (em tempo real ou no sistema “retrovisor”).

4. Baixo índice de identificação de erros e fraudes

Sem a ferramenta adequada, a expectativa de identificação de fraudes ou erros no registro de produtos é baixa. Somente com uma tecnologia projetada para monitorar as operações de frente de caixa, é possível atingir alto índice de identificação destes eventos através de consultas parametrizadas.

5. Falta de comunicação sobre tecnologia de monitoramento 

Outro erro comum é a ausência de comunicação sobre as formas de controle. A comunicação sobre o monitoramento de imagens e áudio deve chegar a clientes e colaboradores. Isso ajuda na disciplina em seguir processos, atenção no atendimento ao cliente e inibição de fraudes.

6. Falta de ações para desenvolvimento da equipe

Os dados podem surpreender: a causa mais comum das perdas na frente de caixa são erros da equipe e não fraude ou má fé, como muitos pensam. Use treinamento e feedback contínuo, direcionados às necessidades dos operadores de caixa, se tornam mais efetivos.

7. Alto índice de perdas não identificadas

As perdas causadas por furtos internos, externos ou falhas operacionais são comuns na frente de caixa e com o uso tecnologia para monitoramento de checkouts é possível reduzir efetivamente este número.

8. Baixo envolvimento dos gestores

Sem dados estruturados sobre o que realmente acontece na frente de caixa, o envolvimento dos gestores se torna mais difícil, demandando mais tempo e energia. Na prática, vemos que as empresas que utilizam ferramenta de gestão de frente de caixa conseguem viabilizar um acompanhamento mais próximo de seus gestores.

9. Ausência de histórico de eventos na frente de caixa

Nas lojas que não utilizam tecnologia para gestão de PDV, o histórico dos eventos é inexistente ou precisa ser solicitado à Equipe de TI.

10. Clima prejudicial entre os operadores de caixa

Para finalizar, o clima da equipe!

-

FONTE:
https://www.supervarejo.com.br/materias/10-erros-comuns-na-gestao-de-frente-de-caixa-e-como-corrigi-los

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

// OUTUBRO ROSA

Outubro Rosa é uma campanha anual de conscientização sobre os riscos do câncer de mama. Para as empresas, a adesão é importante para fortalecer a marca e se aproximar mais dos colaboradores. 


A seguir, separamos algumas ideias para Outubro Rosa na empresa, entre elas:
  • dia casual em que as mulheres vestem rosa;
  • palestras motivacionais;
  • distribuição de materiais de conscientização;
  • trabalhos voluntários;
  • incentivo a exercícios físicos, como oferecimento de ginástica laboral nas empresas.
Chega o antepenúltimo mês do ano e, com ele, muito mais do que os primeiros dias da primavera: é quando acontece o Outubro Rosa e junto, as ações do Outubro Rosa nas empresas.

O período é dedicado à campanhas mundiais de conscientização a respeito dos riscos — e a prevenção — do câncer de mama. Um exemplo de sua gravidade: a doença é a mais comum, entre as mulheres, e só no Brasil o INCA (Instituto Nacional de Câncer) estima que apareçam 59.700 novos casos entre os anos de 2018 e 2019.

Por isso, cabe às empresas o embarque imediato nessa empreitada que só valoriza os seus ativos mais preciosos: seus colaboradores. Acompanhe-nos nesta leitura e conheça algumas ideias para Outubro Rosa nas empresa . Assim, todos poderão fazer a diferença e contribuir para uma conscientização que se estenda ao longo dos outros meses também!

Como surgiu o Outubro Rosa?

Tradicionalmente, o Outubro Rosa surgiu nos Estados Unidos. Resultado da comoção que a morte de Susan G. Komen causou em sua irmã, Nancy. A primeira ideia surgiu em 1982, quando uma corrida começou a ser planejada com o objetivo de conscientizar a população a respeito do câncer de mama. A corrida obteve uma boa resposta popular e o tradicional laço rosa foi distribuído no evento. Detalhe: a corrida ocorreu no mês de outubro e, desde então, passou a gerar um engajamento cada vez maior à causa. De proporção global, atualmente.

E o Outubro Rosa no Brasil?

No país, as primeiras ações que ganharam mais destaque, referente ao Outubro Rosa, foram percebidas no ano de 2008. Desde então, marcas comerciais passaram a exteriorizar cada vez mais essas campanhas de prevenção e conscientização. Da mesma maneira que, internamente, muitas ideias para Outubro Rosa nas empresas, começaram a ganhar mais força e adesão. Afinal de contas, se existe algo que pode ser feito é o apelo para que os seus recursos humanos saibam tudo a respeito dessa grave doença e como preveni-la ou reagir mediante qualquer suspeita.

Essas sugestões de atividades para o Outubro Rosa na empresa, apresentam diversos benefícios para sua equipe, entre eles:
  • geram mais engajamento;
  • reduzem os níveis de estresse no trabalho;
  • aproximam as pessoas por meio da empatia;
  • humanizam as ações tomadas pela gestão.
Especialmente, porque o Outubro Rosa também é um instrumento de informação. As pessoas aprendem a perder o medo do câncer de mama para enfrentá-lo — e de maneira antecipada.

Tudo isso porque as chances de cura são maiores quando o diagnóstico é o mais precoce possível. Daí a importância em falar sobre:
  • autoexame;
  • exames regulares;
  • mamografia.
Isso tanto para mulheres até ou após os 40 anos de idade. A mamografia, por exemplo, já é recomendada, periodicamente, para quem tem a partir de 35 anos.

Ideias para Outubro Rosa na empresa: como aderir?

O mês de outubro pode ser essencial para aproximar os colaboradores, gerar um engajamento coletivo e conscientizar a todos a respeito da gravidade do câncer de mama.

Explore isso na cultura de diversidade no ambiente de trabalho. Afinal, homens e mulheres devem estar bem informados para ajudar o próximo sempre que possível.

Além disso, eventuais casos de câncer de mama na empresa deixam de ser um tabu. As ideias para Outubro Rosa na empresa permitem aos colaboradores que aprendam como confortar, auxiliar e estimular o positivismo na pessoa. Quanto mais pessoas se ajudarem, melhor.

Por isso, confira nossas ideias para Outubro Rosa na empresa, e que o seu RH estratégico pode implementar nesse sentido.

14 sugestões de atividades para o Outubro Rosa na empresa

  1. dia casual em que as mulheres vestem rosa. Isso gera uma conscientização coletiva a respeito da campanha do Outubro Rosa;
  2. palestras motivacionais. Pode ser realizada por especialistas de saúde, por quem já enfrentou a doença ou palestrantes que, direta ou indiretamente, têm a contribuir com o tema;
  3. distribuição de materiais de conscientização, como folhetos, panfletos, sites ou mesmo eventos do Outubro Rosa (caso das tradicionais corridas de rua);
  4. decoração do Outubro Rosa para empresa;
  5. trabalhos voluntários com organizações que combatem e previnem o câncer;
  6. incentivo a exercícios físicos. Um bom exemplo disso é a ginástica laboral, que já estimula o desejo de praticar alguma atividade física periodicamente e está envolto em benefícios;
  7. doações também podem ser bem-vindas, direcionando o valor adquirido para instituições que necessitam de recursos para aumentar o seu alcance na conscientização ou no enfrentamento da doença;
  8. bingos e rifas também são boas formas de incentivar as doações;
  9. competições internas cujos prêmios são materiais de conscientização a respeito do câncer de mama. Um exemplo são livros relacionados à doença ou que ajudem a enfrentá-la;
  10. campanhas de doação podem se estender de outras formas, em nossas ideias para Outubro Rosa na empresa. Por exemplo: é comum as pessoas doarem mechas de cabelo para a confecção de perucas. Um gesto social e bonito, que ajuda muitas pessoas que já estão em tratamento contra a doença.
  11. o mesmo vale para os lenços — aqueles de amarrar ao redor da cabeça;
  12. monte uma ou mais equipes de corrida para participarem dos eventos que acontecem ao longo de todo o mês do Outubro Rosa;
  13. promova caminhadas com as equipes da empresa. Um evento social, que pode ser tornar uma ação de employee experience, integrando valor e união à equipe e fortalece a conscientização decorrente do Outubro Rosa;
  14. homenageie aqueles, dentro da empresa, que já tiveram câncer e venceram ou estão batalhando contra a doença. Um bom exemplo é o estímulo perfeito para quem não cuida de si.

Ainda tem dúvidas sobre a importância de ações de Outubro Rosa para empresas?

Dentro da empresa, a campanha do Outubro Rosa gera uma série de benefícios — internos e externos. Para o público, a percepção de marca se torna mais valiosa. Para os colaboradores, pode ser uma forma de criar uma ação de marketing interno realmente forte e integrador. É também uma maneira de:
  • unir as equipes;
  • gerar uma empatia coletiva por meio da conscientização de algo muito importante: a saúde e o bem-estar das pessoas.
Fazer a diferença, portanto, pode também ser uma causa social que una todos os seus recursos humanos em prol de um objetivo só. E que tal fazer a sua parte aplicando algumas das ideias para Outubro Rosa na empresa?

Para isso, compartilhe este post com ideias para Outubro Rosa na empresa em suas redes sociais! Marque os profissionais de RH e leve essa mensagem também para os meios de comunicação empresarial interna da empresa. Deixe que mais pessoas saibam a respeito da campanha e divulguem mais e mais essa ideia! As organizações que se preocupam com o bem-estar no trabalho mostram que valorizam seu capital humano. Isso é crucial, interna e externamente.

FONTE:
https://www.xerpa.com.br/blog/ideias-para-outubro-rosa-na-empresa/