quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Dia dos Pais deve movimentar R$ 14 bilhões

O estudo aponta que, embora os brasileiros ainda são impactados com a recuperação lenta da economia e com o desemprego, 61% devem ir às compras

O Dia dos Pais, que cairá em 12 de agosto, deve movimentar R$ 14 bilhões no país, segundo levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes e Lojistas (CNDL). O estudo aponta que, embora os brasileiros ainda são impactados com a recuperação lenta da economia e com o desemprego, 61% devem ir às compras.

A intenção de consumo é maior do que a data comemorativa de 2017, quando 55% dos consumidores se planejavam dar lembranças aos pais. Com o resultado da pesquisa deste ano, a expectativa é de que quase 93 milhões de pessoas façam alguma compra no período.

O consumidor brasileiro pretendem desembolsar, em média, R$ 150 com os presentes. Considerando os compradores das classes C, D e E, o valor médio diminui para R$ 140. Dos entrevistados, 40% querem gastar a mesma quantia desembolsada em 2017. Os que vão desembolsar menos formam 16% da amostra. 32% acreditam que vão gastar mais. A maior parcela (50%) devem adquirir apenas um presente. Outros 34% querem comprar duas lembrancinhas.

Mais de um terço (34%) dos que pretendem gastar menos alegam que estão com a situação financeira apertada. Cerca de 15% devem priorizar o pagamento de dívidas em atraso. Em 2017, 22% dos consumidores tiveram o CPF inscritos em cadastros de devedores em decorrência das compras no Dia dos Pais.

Isso ocorre porque 22% dos compradores admitem ter o costume de extrapolar o orçamento na hora de agradar ao pai e 30% dos que vão às compras neste ano possuem contas em atraso.

Os itens mais procurados são roupas (50%), seguidas de perfumes e cosméticos (32%), calçados (28%) e acessórios (27%), como cintos, carteiras, relógios e meias, ferramentas (10%), artigos esportivos (10%) e smartphones (10%).

A maioria dos entrevistados mostra preferência pelo pagamento à vista, sendo que 53% no dinheiro e 22% no cartão de débito. Os shoppings serão o maior meio para as compras (37%).

FONTE:
http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2018/08/03/internas_economia,759122/dia-dos-pais-deve-movimentar-r-14-bilhoes-no-varejo-diz-cndl.shtml

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Pesquisa da Experian mostra preocupação com a gestão de dados

Executivos brasileiros se mostraram mais preocupados que a média global. Estudo revelou os principais objetivos de quem investe no gerenciamento de dados


A gestão de dados se tornou uma tarefa crucial para a sobrevivência das empresas. O processo ajuda as companhias a tomarem decisões mais assertivas. Gigantes como Google e Facebook já perceberam (há algum tempo) a importância de transformar os números em informações relevantes para o negócio.

A pesquisa The 2018 Global Data Management Benchmark Report, feita pela Experian, mostrou que os executivos estão mais preocupados com a gestão de dados. No Brasil, metade dos participantes disseram que prezam pela facilidade no gerenciamento. O número mostra que não são apenas os profissionais de tecnologia da informação que se preocupam com esse gerenciamento. A média global ficou abaixo do Brasil – 45%.

Preocupação com os dados

O levantamento mostrou quais os fatores que mais influenciam as empresas no momento da escolha da tecnologia de gerenciamento. O fator mais citado foi a tendência da indústria em requerer soluções que facilitem a gestão de dados. O segundo motivo mencionado pelos entrevistados foi o uso da nuvem para armazenamento.

Além de se preocuparem mais com os dados, os executivos acreditam que cabe ao departamento de TI apenas dar suporte. Cerca de 91% dos que tem poder de decisão afirmaram que a responsabilidade pela qualidade dos dados deve ser da área de negócio, com o TI prestando suporte.

Os profissionais de tecnologia da informação concordam com os executivos. De acordo com o levantamento da Experian, 90% dos entrevistados da área de TI concordam que os times ligados ao negócio devem participar ativamente dos projetos de dados.

Entre os entrevistados que estão planejando algum projeto de gerenciamento de dados, a maioria (50%) está focando na integração dos dados. Na última pesquisa, a proporção de entrevistados que tinha essa intensão era de 34%. Já 46% dos projetos estão focados em Analytics, número que cresceu 22 pontos percentuais desde a última pesquisa.

De acordo com a pesquisa, feita com com mil profissionais de empresas com mais de 250 funcionários em quatro países (Brasil, Estados Unidos, Inglaterra e Austrália), 75% dos executivos viram retorno no investimento em soluções de qualidade de dados. No Brasil, o número é maior: 89%.

O principal objetivo dos que investiram em soluções foi melhorar a experiência do consumidor, fator citado por 60%. Obter ganhos de custo e eficiência foi o objetivo citado por 51%. Outras vantagens buscadas foram a melhoria da gestão dos talentos internos (47%), o avanço diante da transformação digital (45%) e o crescimento global (44%).

FONTE:
http://www.portalnovarejo.com.br/2018/08/01/pesquisa-gestao-dados/

quinta-feira, 26 de julho de 2018

10 mudanças da NFe 4.0 na prática

Constantemente o processo de emissão de nota fiscal eletrônica sofre alterações para facilitar o controle das SEFAZ e tornar essa atividade mais padronizada, tanto para o fisco, quanto para para as empresas. Nesse artigo vamos apresentar as mudanças da NFe, que entrarão em vigor a partir de novembro de 2017, data em que passa a ser validada a versão 4.0 do leiaute.

Se você não está sabendo sobre a versão 4.0 da NFe, fizemos um artigo explicando os motivos das alterações.

Os varejistas precisam entender sobre as mudanças da NFe, pois afetam diretamente processos como a emissão e entrada de notas e cadastro de produtos, que podem comprometer as áreas fiscais, financeiras e a operação de vendas de uma loja.

Vamos às 10 mudanças da NFe, alteradas na versão 4.0:

Para facilitar o compreendimento das mudanças da NFe, vamos separar em dois grupos, apresentando as 3 alterações que afetam o cadastro de produtos e as 7 que alteram a rotina da movimentação de notas fiscais de uma empresa.

Começando pelo cadastro de produtos, conheça as 3 alterações significativas nessa atividade, que estão previstas na nova versão da NFe:

1. Criação do novo grupo Rastreabilidade de produto

Para possibilitar a rastreabilidade de qualquer produto sujeito a regulações sanitárias (bebidas e comidas por exemplo), a nota fiscal eletrônica deverá apresentar os seguintes campos:

  • Número do lote do produto;
  • Quantidade de produto no lote;
  • Data de fabricação/produção;
  • Data de validade;

2. Envio do código ANVISA

Uma das mudanças da NFe que serão validadas a partir de novembro é a obrigatoriedade da informação do código ANVISA, que é utilizado em medicamentos.

Por isso o varejista precisa fazer a modificação no cadastro, tornando esse campo essencial para esse tipo de produto.

3. Inclusão de campos no Grupo Combustível

De acordo com essa mudança prevista na versão 4.0 da NFe, para que os varejistas comercializem combustíveis, passa a ser indispensável a informação de percentuais de misturas GLP e a descrição do código ANP.

O GLP é a sigla que representa Gás Liquefeito do Petróleo, é o nome científico do tradicional gás de cozinha.

Movimento de Notas Fiscais
Na operação de notas fiscais, emissão ou entrada, serão necessárias alterações nos processos da empresa, assim como nos sistemas.

4. Inclusão da opção 5 no campo Indicador de presença “indPres”

No campo Indicador de presença “indPres” foi incluída a opção 5 (operação presencial, fora do estabelecimento).

Este campo tem como objetivo informar o indicador de presença com o intuito de identificar a presença do contribuinte no estabelecimento comercial. Já era previsto os seguintes indicadores:

  • 0 = Não se aplica (por exemplo, para a Nota Fiscal complementar ou de ajuste);
  • 1 = Operação presencial;
  • 2 = Operação não presencial, pela Internet;
  • 3 = Operação não presencial, Teleatendimento;
  • 4 = NFC-e em operação com entrega em domicílio;
  • 9 = Operação não presencial, outros.

Na versão 4.0 da NFe é apresentado o indicador 5 – Operação Presencial fora do estabelecimento.

Este campo 5 está relacionado ao momento em que não há presença do comprador no espaço físico do estabelecimento, ou seja, operação presencial, fora do estabelecimento, utilizada no caso de venda ambulante.

5. Criação de campos relativos ao FCP para operações internas ou interestaduais com ST.

Antes dessas mudanças da NFe, não existia o campo do FCP (Fundo de Combate a Pobreza) discriminado na emissão da NFe, ele era agrupado na alíquota do ICMS. Segundo a nova versão, esse campo será enviado separadamente nas operações internas ou interestaduais com substituição tributária.

Vale lembrar que o FCP é similar ao FEM (fundo de erradicação da miséria), variando entre os Estados a forma como é colocado o campo.

Com essa mudança na nota fiscal eletrônica a SEFAZ pretende rastrear de forma mais minuciosa o destaque do FCP/FEM arrecadado pelas empresas.

6. Alteração do nome grupo “formas de pagamento ” para “Informações de pagamento ” com a inclusão do campo Troco.

Foi retirado o campo indicador da Forma de Pagamento (0-pagamento a vista – 1- pagamento a prazo -2 Outros) do Grupo B e agora para as notas fiscais de ajuste e Devolução o campo forma de pagamento deverá ser preenchido com 90 – Sem pagamento.

Agora nas notas de devolução, não há mais um campo para forma de pagamento. Complicando a vida do varejista, pois torna mais difícil o controle do crédito junto ao fornecedor. Essa complicação acontece por existir várias formas de pagamentos, pode ser um crédito, uma bonificação em produtos, ou até mesmo devolução do valor em dinheiro.

É importante lembrar que o sistema deve estar preparado para incluir essa informação no financeiro, para que não prejudique o controle das finanças da loja.

7. Operações com combustíveis

De acordo com as mudanças na NFe, nas operações com combustíveis, foram acrescentados novos campos a serem informados.

Foi acrescentada a opção de informar o Grupo de Repasse do ICMS ST devido à UF de destino nas operações com combustíveis quando informado CST 60, nas operações interestaduais de produtos que tiveram retenção antecipada de ICMS por ST na UF do remetente.

Para os revendedores de combustível (postos) na emissão da nota deverão informar os valores de ICMS ST relacionados à operação.

Ainda é importante destacar que, além da inclusão de campos para os percentuais de mistura do GLP e a descrição do código ANP, que citamos acima, foi realizada a exclusão do campo “Percentual de Gás Natural para o produto GLP” no grupo Combustível;

8. Inclusão de campo no grupo Total da NFe para informar o valor do IPI no caso de devolução de mercadoria por estabelecimento não contribuinte deste imposto.

Antes, quando se devolvia uma NFe quando havia IPI, esse valor deveria ser informado no campo relativo a outras despesas -“vOutro”.

A partir da versão 4.0 da NFe, visando maior detalhamento dos impostos, o IPI deverá ser informado separadamente no campo “vlIPIDevol” nas operações realizadas por empresas que não são contribuintes de IPI , aumentando assim o controle da SEFAZ.

9. Alteração do Grupo X- Informações do Transporte da NFe com a criação de novas modalidades de frete.

Relacionado ao frete, também temos mudanças na NFe, os códigos atuais de indicador desse serviço foram desmembrados, para tornar mais claro para o fisco, os responsáveis pela contratação do frete.

Códigos atuais:

  • 0 = Por conta do emitente;
  • 1 = Por conta do destinatário/remetente;
  • 2 = Por conta de terceiros;
  • 9 = Sem frete.

Códigos novos:

  • 0 = Contratação do Frete por conta do Remetente (CIF);
  • 1 = Contratação do Frete por conta do Destinatário (FOB);
  • 2 = Contratação do Frete por conta de Terceiros;
  • 3 = Transporte Próprio por conta do Remetente;
  • 4 = Transporte Próprio por conta do Destinatário;
  • 9 = Sem Ocorrência de Transporte.

10. O leiaute do SPED ICMS ainda não está contemplando algumas mudanças da NFe 4.0.

Um exemplo é a alteração acima do frete. Neste caso o Sistema ERP deverá fazer essa conversão de informações para atender ambas obrigações acessórias.

No SPED ICMS estes novos códigos só serão válidos a partir de 1º de janeiro, sendo que a NFe 4.0 já está válida a partir de novembro. Ou seja, essa conversão deverá ser realizada durante 2 meses.

Conclusão:

Percebe-se que todas as alterações e mudanças da NFe promovem um detalhamento maior de informações. Assim o FISCO está exigindo mais clareza nas informações declaradas, e aumentando o nível de conhecimento da tributação paga pelas empresas, essas alterações têm como objetivo facilitar o processo de fiscalização e evitar a falta de padrão durante a emissão de notas fiscais eletrônicas.

As empresas estão vivendo em um novo cenário onde é preciso inovar a capacidade de trabalhar com a tecnologia, substituindo as formas tradicionais de administrar os negócios pelas novas tendências digitais.

O investimento em gestão de pessoas e capacitação continua sendo o maior segredo para obter sucesso e superar os novos desafios digitais que o Fisco está implantando.

FONTE:
https://www.infovarejo.com.br/10-mudancas-da-nfe-4-0-na-pratica/

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Warren Buffett alerta: o varejo que você conhece está para morrer.


Em fevereiro a Berskshire Hathaway já havia vendido US$ 900 milhões em ações do Walmart, o principal afetado por essa mudança.

2017 foi um ano de fechamento acelerado de lojas nos Estados Unidos. Cerca de 6.985 lojas fecharam entre janeiro e dezembro, batendo o recorde de 6.163 lojas fechadas em 2008, o auge da crise econômica por lá. Mas engana-se quem pensa que o país está em recessão: o país registrou alta no PIB (Produto Interno Bruto) de 2,3%, enquanto as vendas do varejo cresceram 4%!

Mas se as vendas do varejo cresceram, como o número de lojas bateu recorde de fechamentos? Isso sinaliza, para muita gente, que a morte da loja física está para acontecer. Uma dessas pessoas é o megainvestidor Warren Buffett, que disse que em 10 anos o varejo vai estar completamente diferente.

“A loja de departamento agora é online”, avisou o bilionário durante o encontro anual da Berkshire Hathaway. “Eu não tenho ilusão de que daqui 10 anos o mundo vai ser igual o de hoje, e algumas coisas nesse caminho vão nos surpreender. O mundo evoluiu, continua evoluindo e a velocidade está aumentando”, destacou. Uma das coisas que ele tem feito é sair de empresas de varejo tradicional que estejam atrás de seus rivais.

Em fevereiro do ano passado, a Berskshire Hathaway já havia vendido US$ 900 milhões em ações do Walmart, o principal afetado por essa mudança. A companhia foi ultrapassada pela Amazon no posto de principal varejista do mundo nos últimos anos em valor de mercado e está tentando combater a rival online, incluindo comprando startups para tal – o que tem inserido grande ânimo na companhia.

Por isso, investidores espertos (como Buffett) estão optando por ficar de fora do setor de varejo físico neste momento, enquanto lojas investem cada vez mais em suas presenças online. “Eu acho que o setor varejista é muito duro para mim, geralmente”, afirmou.

Ele já não tem praticamente ações da Walmart, um dos símbolos do capitalismo norte-americano por décadas por conta dessa transformação. As lojas físicas fecham conforme o número de e-commerces crescem e as pessoas passam a acreditar mais neles, além das mudanças no comportamento dos consumidores. Uma tendência nos últimos anos foi o aumento dos gastos com entretenimento e tecnologia contra roupas e acessórios.

Enquanto o varejo físico vai morrendo, a Amazon vai florescendo. A companhia inclusive pretende juntar o varejo online com o varejo offline (comprou o Whole Foods para tal e vem inserindo seu modo de pensar nela), criando novas formas dos consumidores fazerem compras através da internet e buscarem seus produtos fisicamente sem terem que pagar frete por isso e esperar chegar.

[Leia o resto em STARTSE].


quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

AVISO AOS CLIENTES DA B2U SISTEMAS

Retirado do site da Secretaria da Fazenda de São Paulo: 


"ATENÇÃO – MANUTENÇÃO - INDISPONIBILIDADE TOTAL 

Haverá manutenção em todos os sistemas
do SAT
nos dias 06/01/2018 e 07/01/2018.

Ocorrerá indisponibilidade total do sistema.
Solicitamos que programem o envio dos CF-e para evitar envio após 10 dias."


quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Adeus Ano Velho, Feliz Sistema Novo!


A B2U Sistemas agradece por mais um ano de trabalho e parceria. Juntos alcançamos bons resultados e tonificamos um ambiente forte e com grande potencial evolutivo.

Desejamos que 2018 traga muita paz e prosperidade a todos!

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Sequestro de dados. Como se proteger?

Sequestro de dados na Internet vem aterrorizando e surpreendendo pequenos e médios empresários no Brasil.

No dia 12 de maio, devido a vulnerabilidade do sistema operacional Windows, o caso mais notório afetou mais de 200 mil computadores em diversos países, incluindo o Brasil. Utilizando um "ransomware" para criptografar os dados digitais da vítima, os arquivos são mantidos como reféns até que um resgate seja pago.

O sequestro de dados cresce porque as pessoas pagam, as empresas e usuários ficam tão preocupadas em perder todas as suas informações que sucumbem ao resgate, o que motiva ainda mais os criminosos. Sabemos que se proteger no mundo virtual é um pouco trabalhoso e às vezes é até necessário algum investimento, entretanto é importante para evitar ou amenizar transtornos.  Algumas dicas simples de segurança:
  1. Crie senhas difíceis de serem descobertas;
  2. Use navegadores atuais e renomados;
  3. Clique sempre em logout ou sair;
  4. Atualize seu antivírus e sistema operacional;
  5. Cuidado com downloads;
  6. Cuidado com links em mensagens e redes sociais;
  7. Não utilize softwares piratas;
  8. Não acesse sites duvidosos;
  9. Atenção aos anexos;
  10. Emails falsos são muito comuns;
  11. Cuidado ao fazer compras na Internet ou usar sites de bancos;
  12. Procure utilizar verificação em duas etapas;
Pratique os cuidados na Internet, mas fique atento também a quem está próximo de você, oriente seus colaboradores, amigos e parentes. www.b2u.com.br